"O Tempo Não Pára" Uma homenagem aos 60 anos de Cazuza no Velho John


Cazuza, um dos maiores ícones do universo pop brasileiro, faria sessenta anos nesta quarta-feira, 04 de abril. 


No coração da sua legião de fãs e admiradores ele deixou uma imagem cristalizada de um eterno jovem, rebelde, roqueiro, exagerado...Sua obra reverbera viva e presente pelos quatros cantos do país, mesmo depois de vinte e oito anos após sua morte. Bem como diz seu verso imortalizado "O Tempo Não Pára". 


Agenor de Miranda Araújo Neto (4 de abril de 1958 – 7 de julho de 1990), o Cazuza, ganha homenagens em todo o Brasil, inclusive, aqui em São Luís - MA, no Velho John Music Pub (Galeria José Silva, loja 01, Av. dos Holandeses) onde a jornalista e DJ Vanessa Serra é residente com sua discotecagem do vinil; haverá uma noite especial dedicada ao poeta nesta quarta-feira, 04, a partir de 20h


Vanessa fará um set, exclusivamente, analógico, com faixas que foram grandes sucessos do artista desde a fase inicial de sua carreira junto ao Barão Vermelho até seu último Lp, Burguesia, lançado pela Polygram em 1989. 

"O mundo é um moinho" de Cartola na emblemática interpretação de Cazuza também será destaque, além de hits que somaram na cena dos anos 80, e clássicos de grandes artistas que influenciaram e foram referências para Cazuza como Maysa, Lupicínio Rodrigues, Marina, Ney Matogrosso, Caetano Veloso, Secos & Molhados, Janis Joplin, Gilberto Gil, Gal Costa...o repertório da noite, comungará com a emoção do público, afinal podia-se esperar qualquer coisa do Cazuza. Ele poderia tocar bossa nova, MPB, como também encontrar um grupo de rock mais pesado e começar a compor com eles. O Cazuza era imprevisível. 


SAIBA MAIS: 

Cazuza se projetou no universo do rock dos anos 1980, mas nasceu no berço da MPB, filho de João Araújo (1935 – 2013) – desde os anos 1960 um dos mais importantes executivos da indústria fonográfica do Brasil – e de Lucinha Araújo, a supermãe que se tornou ativista, zelando na Sociedade Viva Cazuza pela saúde e inclusão social de crianças infectadas com o vírus da Aids.

Essa vivência no seio da MPB, e da música que veio antes dessa MPB, influenciou Cazuza. Tanto que houve inusitado elo entre Cazuza e Maysa (1936 – 1977), cantora e compositora de personalidade igualmente exagerada que quebrou barreiras machistas nos anos 1950. Não por acaso, circula na web, na voz de Cazuza, registro extra-oficial do samba-canção Diplomacia, lançado por Maysa em disco de 1958, no ano em que Cazuza nasceu.



SERVIÇO:

"O Tempo Não Pára", uma homenagem aos 60 anos de Cazuza

DJ Vanessa Serra, Discotecagem 100% vinil 

Dia 04 de abril, de 20h até meia-noite.

Velho John Music Pub ( Galeria José Silva, loja 01, Av dos Holandeses)

Couvert: R$ 10.

Reservas: (98) 99235-2412.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar! Deixe seu link para retribui a visita ❤
Instagram: @blogntc @castroriicardo